Enter your keyword

Retenção de talentos: estratégias para manter os bons profissionais

Retenção de talentos: estratégias para manter os bons profissionais

Retenção de talentos: estratégias para manter os bons profissionais

Atrair, desenvolver e reter talentos são os três principais pilares da gestão de pessoas. Para que uma organização funcione como se espera, ela precisa encontrar os colaboradores certos, investir neles e garantir que o investimento não seja perdido com uma demissão precoce. Para isso, portanto, o RH deve apostar em boas estratégias de retenção de talentos. 

Neste post, vamos explicar melhor o que são essas estratégias, quais os benefícios de apostar nelas e como você pode colocar seu plano de ação em prática. Tem interesse no assunto? Então confira tudo na leitura. 

O que é retenção de talentos?

A retenção de talentos é um conjunto de estratégias e práticas com foco em garantir que os colaboradores mais talentosos se mantenham por mais tempo na empresa. Essas táticas incluem desde contratações mais acertadas, até remuneração adequada, programas voltados para motivação e engajamento, entre outros. 

Hoje, as grandes organizações já entendem que os colaboradores são os ativos mais importantes para garantir bons resultados ao negócio. Assim, com um mercado cada dia mais competitivo, reter os profissionais se torna um processo desafiador e que exige estratégia. 

Vale lembrar que, ao ser contratado, o colaborador ainda está entusiasmado, o que tende a fazer com que ele seja mais produtivo e engajado. Contudo, quando a empresa não investe em métodos de retenção, esse entusiasmo tende a diminuir com o tempo, o que abre espaço para que o profissional comece a buscar novas oportunidades. 

Como funciona a retenção de talentos?

É comum que os empreendedores acreditem que a única coisa que motiva e retém talentos seja remuneração financeira, mas isso não reflete bem a realidade. 

De acordo com pesquisas realizadas pela Deloitte na série Talent 2020, 42% dos entrevistados declararam que começam a buscar novos empregos quando sentem que o empregador não valoriza suas habilidades e não oferece possibilidades de crescimento. 

A mesma pesquisa aponta que o salário é o principal motivo para que um colaborador fique na empresa, mas ocupa a última posição entre os motivos que fazem com que ele abandone o emprego. Ou seja, mesmo que a remuneração seja excelente, o trabalhador pode deixar a organização se sentir que ela não está suprindo outras necessidades. 

Isso nos mostra que a relação entre dinheiro e satisfação no trabalho não é tão próxima quanto imaginamos. A chave para reter talentos está muito mais associada a outros fatores, como valorização do trabalho e qualidade de vida. 

Qual a importância de reter os colaboradores?

importancia-de-reter-os-colaboradores

Podemos dizer que a retenção de talentos é um importante diferencial competitivo para a organização. Atualmente, encontrar colaboradores com o conjunto de habilidades e competências que precisamos é extremamente desafiador, isso porque os melhores profissionais estão, quase sempre, empregados. 

Além disso, é preciso que o candidato tenha não somente os conhecimentos técnicos desejados, como também esteja alinhado com o perfil comportamental necessário e com a cultura organizacional. Dessa forma, os processos de recrutamento e seleção são, hoje, muito mais complexos do que foram outrora. 

Agora imagine ter todo esse trabalho para encontrar os talentos certos e perdê-los por falta de reconhecimento ou planejamento? Além de impactar os resultados do negócio, um alto índice de turnover traz mais custos e mais trabalho para o RH, que precisará iniciar novamente as seleções. 

Dessa forma, podemos estabelecer que reter talentos é, na verdade, muito mais vantajoso e lucrativo do que permitir que seus colaboradores, já treinados e capacitados, saiam da empresa e sejam substituídos por outros. 

Quais os benefícios de uma estratégia de retenção?

Você já entendeu a importância de investir em estratégias de retenção de talentos. A seguir, vamos listar alguns outros benefícios desse tipo de ação. Confira. 

Melhora o clima organizacional

Como, muitas vezes, esse tipo de estratégia envolve o bem-estar dos colaboradores e a promoção de um ambiente de trabalho saudável, a tática acaba impactando diretamente na construção e manutenção de um melhor clima organizacional

Além disso, é bom lembrar que profissionais que se sentem reconhecidos e valorizados, acabam se tornando mais colaborativos e satisfeitos, o que minimiza conflitos e torna o ambiente muito mais agradável para todos. 

Traz mais engajamento e produtividade

O sentimento de valorização também contribui para o engajamento e a produtividade do time. Mais do que discursos motivacionais, os colaboradores precisam sentir a valorização na prática para que vistam a camisa da empresa. 

Dessa forma, organizações que investem em capacitação, incentivos e benefícios conseguem perceber uma melhora efetiva na motivação e no engajamento. Além disso, a tendência é que os profissionais queiram retribuir esse tipo de reconhecimento, o que reflete em um aumento da produtividade e da qualidade nos processos. 

Reduz custos para a empresa

Como já citamos, a retenção de talentos é uma excelente ferramenta para reduzir o turnover recente – que traz custos desnecessários com recrutamento e seleção e desligamentos de colaboradores

Cada vez que um funcionário deixa a empresa precocemente, a organização precisa desembolsar um alto valor em custos trabalhistas, além do investimento em treinamento de novos colaboradores e do tempo necessário até que os times estejam novamente estabilizados. 

Proporciona uma vantagem competitiva

Uma equipe engajada e alinhada com a cultura organizacional consegue ter um alto desempenho, o que garante que os serviços sejam prestados com um padrão de qualidade contínuo e confere um importante diferencial competitivo no mercado. 

Agora imagine que, todo mês, a empresa perca seus melhores talentos e precise iniciar novos processos seletivos e treinar os recém contratados. Nesse cenário, ficaria difícil manter o nível de entrega esperado e a continuidade da excelência nas atividades. 

Fortalece o employer branding

Por fim, as ações de retenção fazem parte de uma estratégia essencial: o employer branding ou marca empregadora. Esse conceito se refere à boa reputação que a empresa tem no mercado, tornando-a atrativa para os melhores candidatos. 

Bons programas de retenção fazem com que os próprios colaboradores se tornem promotores da empresa, fortalecendo a imagem dela como empregadora e contribuindo para a atração de novos talentos. 


Qual o papel do RH na retenção de talentos?

O RH é o setor responsável por elaborar o plano de ações para a retenção de talentos. Assim, o setor precisa conhecer a fundo o perfil dos colaboradores da empresa para traçar estratégias que realmente surtam o efeito desejado. 

É fundamental que os profissionais responsáveis pela gestão de pessoas estejam alinhados às boas práticas do mercado, oferecendo salários, benefícios e planos de carreira competitivos. 

Além disso, é papel do RH mensurar o clima organizacional e a percepção dos colaboradores, identificando baixas na motivação e engajamento e criando estratégias preventivas para garantir a retenção.  

Como calcular o índice de retenção de talentos?

É importante lembrar que o turnover e a retenção de talentos são dois fatores que estão diretamente ligados. Dessa forma, você consegue entender a efetividade de suas ações de retenção mensurando os índices de turnover ao longo do tempo. 

Assim, comece somando as admissões e o número de desligamentos dentro do período a ser analisado e divida o resultado por dois. Depois, divida o total pelo número de pessoas na empresa. Para chegar a um valor percentual é só multiplicar o resultado por 100. 

Vamos dar um exemplo. Imagine que sua empresa tem 100 funcionários. No último mês, 10 profissionais novos foram admitidos e 4 foram demitidos. Somando as entradas e saídas do período, temos um total de 14 pessoas. 

Assim:

  • 14 / 2 = 7
  • 7 / 100 = 0,07
  • 0,07 x 100 = 7%

Nesse exemplo, a taxa de turnover da empresa é de 7%. Se esse indicador se refere às entradas e saídas, podemos dizer que o restante dos colaboradores foi retido. Dessa forma, considerando os 100 funcionários, a taxa de retenção seria de 100% menos os 7% de turnover, logo, 93%. 

Com base nos números levantados nas análises, a empresa deve começar a avaliar os resultados de suas ações de retenção ao longo do tempo. A expectativa, obviamente, é reduzir ao máximo o índice de turnover e aumentar o de retenção. 

Como reter talentos na prática?

como-reter-talentos-na-pratica

Embora seja de extrema importância, muitos profissionais de RH não sabem, ao certo, quais estratégias podem ser utilizadas para a retenção dos talentos. Para auxiliar nessa tarefa, listamos abaixo algumas dicas práticas. Confira. 

Tenha um recrutamento e seleção estratégico

Um recrutamento e seleção estratégico é um dos principais pontos-chave para a retenção. Isso porque, se o candidato escolhido não está alinhado com a cultura da empresa e as responsabilidades do cargo que ocupa, muito provavelmente ele acabará deixando a organização de forma precoce. 

Assim, é essencial que o processo seletivo seja feito de forma estruturada, levando em conta habilidades técnicas e comportamentais, fit cultural, expectativas e planos de carreira. Colocar a pessoa certa no lugar certo é a forma mais efetiva de minimizar a rotatividade. 

Aposte no fit cultural como estratégia de retenção

O fit cultural indica o quanto o candidato de um processo seletivo está alinhado à cultura e aos valores do negócio. Essa é uma etapa fundamental do processo para garantir que não haja turnover recente. 

Profissionais que já entram na empresa entendendo os objetivos, crenças e postura determinados, tendem a se encaixar melhor no time e trabalhar com mais satisfação e engajamento, o que aumenta as possibilidades de retenção.

Elabore um plano de carreira e remuneração

O plano de carreira é um documento que estrutura o caminho que o profissional pode percorrer dentro da empresa. Quando esse documento é bem estabelecido, os colaboradores conseguem ter uma visão do futuro e alinhar expectativas, entendendo onde eles podem chegar se tiverem o desempenho esperado. 

Essa perspectiva clara de crescimento faz com que os profissionais se mantenham motivados e engajados e cientes dos esforços necessários para alcançar novos objetivos. Em contraponto, quando o colaborador não vê futuro para ele dentro da empresa, ele acaba se desmotivando, o que pode fazer com que busque novas oportunidades no mercado.  


Realize pesquisas de clima organizacional

As pesquisas de clima organizacional funcionam como um termômetro, mostrando ao RH qual a percepção e satisfação dos colaboradores quanto à organização e o ambiente de trabalho. Assim, elas devem ser feitas com regularidade para guiar as ações voltadas para a retenção de talentos e até mesmo evitar investimentos inadequados. 

Imagine, por exemplo, que você identifica uma baixa motivação em um time específico da empresa. Sua primeira reação é oferecer recompensas financeiras para recuperar o ânimo do time. Essa ação pode até surtir o efeito necessário a curto prazo, contudo, se as questões financeiras não são a real causa da desmotivação, o problema pode voltar no futuro. 

As pesquisas de clima, portanto, são as ferramentas ideais para identificar, realmente, a raiz de problemas como este. Com ela, é possível entender se as lideranças estão bem treinadas, se existem conflitos no time, se as metas são alcançáveis e outros fatores que impactam no bem-estar e no engajamento dos profissionais. 

>> Leitura recomendada: [E-book] Roteiro da Pesquisa de Clima Organizacional Eficiente

Valorize os colaboradores

Reconhecer e valorizar os profissionais da sua empresa é uma das principais ações de retenção. Essa valorização pode acontecer de diversas formas e nem sempre envolvem recompensas financeiras. 

Reuniões de feedback, benefícios corporativos, programas de treinamento e capacitação, planos de desenvolvimento individual e jornadas flexíveis são só alguns dos itens que podem fazer com que o colaborador se sinta valorizado e respeitado dentro da companhia.

Aposte em programas voltados para o bem-estar

Hoje em dia, já se sabe que cuidar do colaborador é essencial para que a empresa alcance os melhores resultados e o profissional se mantenha engajado. Assim, é importante pensar em ações voltadas para a saúde física e mental deles. 

Ambientes estressantes e cheios de cobranças, chefes abusivos, conflitos internos e metas inalcançáveis, por exemplo, podem fazer com que o funcionário desenvolva problemas como ansiedade, estresse e até a famosa Síndrome de Burnout. 

Todos esses problemas são o prato cheio para que o colaborador busque novas oportunidades e deixe a empresa em busca de mais saúde mental. 

Invista no desenvolvimento de lideranças

Essa dica está diretamente relacionada à anterior. Como citamos, as lideranças têm um impacto importante no bem-estar e na percepção do colaborador a respeito da empresa. Por isso, é essencial que o RH treine seus líderes para que eles tenham uma gestão humanizada e eficiente. 

Além do investimento em treinamentos, é válido que o RH crie uma rotina de acompanhamento com esses profissionais, para que eles possam refletir sobre quais ações têm funcionado e como é possível melhorar o reconhecimento de seus liderados. 

Utilize a gestão comportamental a seu favor

A gestão comportamental é uma ferramenta utilizada pelo RH para compreender melhor seus colaboradores. Por meio de um mapeamento, o setor consegue classificar o time em perfis comportamentais, entendendo como cada perfil reage a diferentes situações. 

Com ela, é possível entender, por exemplo, como cada perfil se motiva, criando estratégias direcionadas, personalizadas e que realmente auxiliarão na retenção. Esse método entende que cada pessoa é diferente, logo, as estratégias também precisam ser diferentes. 

Como as empresas estão retendo seus talentos?

Se inspirar na gestão de pessoas implementada em outras empresas é uma excelente forma de buscar ideias e traçar um plano estratégico de retenção de talentos. Vale lembrar, contudo, que as ações escolhidas precisam fazer sentido com a cultura organizacional e com aquilo que a sua companhia acredita. 

A seguir, trouxemos dois cases que podem ajudar você a se inspirar, confira. 

Caterpillar 

A Caterpillar é certificada como uma das melhores empresas para se trabalhar pelo Great Place to Work 2022, uma iniciativa mundial que ranqueia as empresas empregadoras do mundo. De acordo com informações do GPTW, 94% dos funcionários da organização dizem que este é um ótimo lugar para trabalhar. 

A companhia conta com mais de 4 mil colaboradores e seu índice de turnover não ultrapassa 1%. Entre as ações incorporadas pelo RH estão avaliações 360º, centro de treinamento e desenvolvimento com cursos presenciais e EAD, programas voltados para a segurança do trabalho, serviços de reabilitação para dependentes químicos e medicamentos gratuitos para portadores de doenças crônicas. 

Magazine Luiza

A Magazine Luiza é outro case de sucesso na lista do GPTW. A companhia já é conhecida por cursos e palestras com foco na retenção de talentos e se destaca pelo plano de ação implementado. 

Entre as estratégias adotadas estão:

  • Análise de fit cultural em todos os processos seletivos;
  • Reconhecimento pessoal e de equipes com prêmios em dinheiro e viagens;
  • Benefícios corporativos, como convênio para aquisição de casa própria, cheque-mãe e plano de saúde extendido para familiares, o que inclui pais, sogros e conjuges de mesmo sexo;
  • Programas de desenvolvimento e planos de carreira;
  • Bolsas de estudos para graduação, pós-graduação, MBA e escolas de idioma;
  • Plano de saúde sem coparticipação para pessoas portadoras de deficiência;
  • Central de atendimento para gestão de pessoas. 

Como vimos, a retenção de talentos é um conjunto de estratégias de extrema importância para qualquer empresa que deseja manter um nível de qualidade nas entregas e contar com colaboradores engajados e motivados. 

Antes de traçar um plano de ação focado em retenção, contudo, o RH precisa mapear as percepções dos colaboradores para entender as reais necessidades do time.

Quer saber mais sobre estratégias na gestão de pessoas? Continue acompanhando o nosso blog!

Equipe Sociis RH

Sem Comentários

Comente

Seu e-mail não será publicado.