Enter your keyword

O que é People Analytics e qual sua importância para as empresas?

O que é People Analytics e qual sua importância para as empresas?

O que é People Analytics e qual sua importância para as empresas?

Motivar os colaboradores, melhorar o clima, ter sucesso nos recrutamentos, treinar as competências certas. Há muito tempo, os profissionais de RH buscam maneiras de superar esses e outros desafios. Uma delas é entender o que é People Analytics e como aplicá-lo no dia a dia.

Cruzar dados, estatísticas e métricas sobre pessoas fornece um novo embasamento para as decisões do setor. É possível ir atrás das causas e tendências responsáveis pela performance atual, implementar melhorias e acompanhar a evolução dos resultados com mais exatidão.

Para que você entenda essa ferramenta à disposição dos gestores de RH, esclarecemos as principais dúvidas no artigo a seguir. Continue lendo para aprender como utilizar o People Analytics para realizar transformações positivas na sua organização.

O que é People Analytics?

O People Analytics é uma abordagem para a gestão de pessoas que se orienta por dados para otimizar os resultados do setor de recursos humanos. A metodologia também é conhecida como análise de RH ou análise de talentos. Com o People Analytics, gestores, gerentes e executivos podem tomar decisões mais precisas para os objetivos do negócio.

A expressão refere-se à coleta, tratamento e interpretação de dados sobre pessoas – geralmente, colaboradores ou candidatos de processos seletivos. A própria tradução literal do termo — análise de pessoas — é bastante esclarecedora, nesse sentido.

De fato, a metodologia proposta vem transformando a gestão de pessoas e a forma como os setores de RH lidam com a atividade. O People Analytics fornece informações preciosas sobre o clima organizacional, a qualidade das entregas, a gestão de competências e muito mais. Todas essas informações são coletadas e analisadas de maneira sistêmica. No fim, queremos ter conclusões claras para propor melhorias.

De certa forma, podemos dizer que os efeitos do People Analytics vão muito além de uma simples análise do profissional. Sua condução nos apresenta instrumentos de pesquisas avançadas. A partir dos dados, conseguimos prever comportamentos, antecipar problemas e agir preventivamente para evitar grandes prejuízos.

A origem do conceito

O surgimento do People Analytics é comumente atribuído à Google. A ideia de analisar informações sobre colaboradores e candidatos, porém, não é uma novidade. Essa é a uma atividade que faz parte da rotina de RH, principalmente quando falamos em gestão de pessoas. Mas o que antes era catalogado em fichas funcionais feitas de papel, hoje pode ser facilmente registrado na nuvem.

Assim, não é muito difícil imaginar as contribuições da Google para o método. Acostumada a coletar e processar uma quantidade absurda de dados, a empresa entendeu que precisava ter os melhores profissionais para que pudesse ser a melhor do seu segmento. Era preciso conhecer os profissionais a fundo.

Em 2005, então, a gigante da internet desenvolveu uma solução capaz de identificar padrões nos mais de 15 mil currículos recebidos diariamente. E, a partir disso, filtrar os profissionais conforme sua compatibilidade com a empresa.

Qual é a importância do People Analytics?

importancia-do-people-analytics

O People Analytics tem o objetivo de auxiliar a equipe de RH durante a gestão de pessoas. A metodologia traz ferramentas que nos permitem olhar para os profissionais de maneira analítica para tomar decisões mais estratégicas.

O ponto central é planejar, tomar decisões e elaborar processos. Como contamos com uma grande quantidade de dados para projetar resultados, fica mais fácil ter certeza de que os caminhos escolhidos levarão ao destino almejado. Dessa forma, as ações se tornam mais objetivas no médio e longo prazo.

Em geral, o People Analytics elucida questionamentos relevantes para esses processos. “Qual é o melhor candidato? ”, “Quem deve passar para as etapas de entrevistas? ”, “Quais são as queixas que afetam o clima organizacional? ” são alguns exemplos.

Ao analisar os colaboradores e perfis comportamentais de dentro da organização, conseguimos manter a estratégia alinhada. Além de trabalhar para resolver problemas verificados, o People Analytics permite que possamos nos antecipar às questões e agir de modo preventivo. Dessa forma, é possível conservar  um bom relacionamento entre empresa e funcionário, que resultará em bons resultados.

Os níveis de maturidade do People Analytics

Antes de começar a utilizar o People Analytics em sua tomada de decisão, é preciso avaliar com cuidado o nível de maturidade de sua organização. Precisamos olhar para o cenário atual para entender onde a empresa se encontra atualmente. Assim, fica mais fácil compreender como a metodologia será aplicada.

Os níveis de maturidade se organizam com uma pirâmide com a maioria das empresas na base (primeiro nível) e a quantidade diminuindo progressivamente conforme avançamos para o topo (último nível).

1. Relatórios operacionais

O nível 1 de maturidade em People Analytics representa a situação da maioria das empresas. Na base, o RH consegue produzir relatórios operacionais sobre suas atividades. Isso significa que provavelmente já existe mensuração de métricas mais tradicionais como headcount, turnover, custo de treinamento, mão-de-obra, entre outros.

Os dados coletados e acompanhados aqui viram relatórios, gerados de maneira periódica pelo sistema de informação adotado internamente. São dados acompanhados no dia a dia da organização e que ajudam a garantir viabilidade aos negócios.

2. Relatórios avançados

A partir do segundo nível de maturidade, as organizações já conseguem elaborar relatórios operacionais e relatórios avançados sobre os recursos humanos. Uma parcela menor de empresas está nesse nível – pouco menos de um terço daquelas no mercado.

Por uma progressão natural, negócios nesse patamar já têm controle de outras métricas de valor estratégico, análise de tendências e benchmarks para a operação. Mas, isso não significa que devemos sair produzindo novas métricas a torto e direito. É preciso escolher indicadores realmente relevantes e que possam contribuir para decisões mais precisas.

3. Analytics avançada

Uma parcela ainda menor de organizações passa para o nível três de maturidade. A partir desse estágio, a empresa já tem pleno controle sobre os relatórios operacionais e avançados. Por isso, pode começar a conduzir análises mais evoluídas a partir dos dados integrados. A equipe está centralizada para identificar questões e propor soluções viáveis.

Nessa maturidade, o RH já deve ser capaz de utilizar o People Analytics para construir modelos estatísticos, a fim de resolver os problemas que mais atrapalham os resultados. A análise dos dados nos ajuda a saber de antemão qual decisão será mais acertada para lidar com a situação que se desenha.

4. Analytics preditiva

Pouquíssimas organizações conseguem utilizar People Analytics em todo seu potencial e alcançar o nível máximo de maturidade. As que chegam até aqui, porém, desfrutam de uma gestão de pessoas integrada e extremamente eficiente.

No último nível de maturidade, a análise se torna preditiva. Isso significa que a gestão de pessoas será capaz de antecipar o futuro por meio de modelos estatísticos. Será possível projetar cenários e estimar probabilidades como parte da rotina. Assim, a empresa consegue se antecipar aos problemas e agir preventivamente.


As vantagens do People Analytics

O uso do People Analytics pode trazer diversas vantagens para o setor de RH que decide por sua adoção. Sobretudo para empresas que se dedicarem de fato à metodologia. Ele ajuda do planejamento estratégico ao fit cultural nas contratações – confira:

Análise de dados eficiente

Uma das vantagens mais óbvias do People Analytics é que ele ajuda a conduzir uma análise de dados eficiente. De fato, o método foca em coletar e analisar informações para nos ajudar a tomar decisões mais conscientes e estratégicas. Queremos conhecer a realidade para fazer as melhores escolhas.

As informações coletadas em currículos, avaliações de desempenho, entrevistas e pesquisas serão tratadas com eficiência para responder aos questionamentos. E tudo isso gera ganhos sensíveis na tomada de decisões.

Fit nas contratações

Hoje em dia, sabemos que uma boa contratação depende de outros fatores, além das habilidades e experiências profissionais. É preciso que empresa e profissional sejam compatíveis também em seus valores, ambições e forma de trabalho.

O People Analytics também é uma forma de cruzar as necessidades com as competências e perfis comportamentais dos candidatos. Ademais, com uma triagem mais eficiente, sobra mais tempo para os recrutadores aplicarem entrevistas, provas e dinâmicas.

Identificação de tendências

Para garantir uma gestão de pessoas eficiente, é preciso ficar de olho nas tendências. Assim, nos certificamos de que as condições oferecidas para os colaboradores são compatíveis com o restante do mercado. Isso só será possível se o People Analytics for incorporado à rotina do RH.

A análise de dados possibilita, ainda, encontrar as tendências que afetam os sentimentos dos colaboradores no ambiente de trabalho, por exemplo, padrões nas queixas apresentadas em pesquisas de satisfação.

Redução de custos

O People Analytics garante mais precisão em nossas ações. De maneira prática, isso significa que conseguimos tomar decisões com mais segurança sobre o desfecho. Ao processar os dados em modelos estatísticos, é possível prever os resultados sem precisar comprometer recursos preciosos na tentativa.

Com a metodologia de análise, o RH reduz erros e, consequentemente, gastos. Afinal, é quando o profissional inadequado é contratado, o turnover está alto, o treinamento foi ineficaz e coisas do gênero que as despesas do setor explodem.

Planejamento estratégico

Como a participação do RH nas decisões estratégicas das empresas vem crescendo, o People Analytics se tornou um meio para que o suporte e orientação oferecidos aos administradores sejam melhor fundamentados e orientem adequadamente os planos da empresa.

Essa mudança de paradigma tem um enorme impacto na forma com as empresas são conduzidas. O entendimento de que os recursos humanos compõem um dos aspectos mais importantes dos negócios nos ajuda a entender o porquê. A partir de uma gestão de pessoas mais estratégica, o planejamento também ganha qualidade.

Gestão Estratégica de RH

Os riscos do uso do People Analytics

Para conseguir desfrutar de todas as vantagens do People Analytics, é preciso ser metódico para evitar erros que possam comprometer os resultados.

Como sempre, tudo começa pelo planejamento do processo. Antes de iniciar a coleta dos dados, é preciso ter claro seus objetivos. Se você quer focar em contratações mais certeiras, deve investigar por um caminho. Caso a intenção seja aumentar a retenção dos colaboradores, são outras informações que precisam ser averiguadas.

>> Leitura recomendada: Como promover a atração e retenção de talentos na empresa

A partir do momento em que o objetivo está claro, vamos então começar a coleta de dados. As informações precisam estar preparadas para garantir qualidade nas análises. Isso significa se certificar de que os dados estão corretos, atualizados e são de boa fonte.

Ao lidar com dados pessoais, não podemos esquecer da responsabilidade legal dessa atividade. A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (13.709/2018) – ou simplesmente LGPD – discorre sobre os procedimentos apropriados para armazenar tais informações com segurança e responsabilidade.

Por fim, não podemos nos esquecer da importância de contar com uma equipe qualificada para conduzir o processo com eficiência e isonomia. Em alguns casos, o excesso de demandas internas pode impedir que o RH consiga levar a organização até o último nível de maturidade do People Analytics. Nesses casos, pode ser interessante contar com orientação especializada de consultorias como a Sociis RH.

Como aplicar a People Analytics?

como-aplicar-people-analytics

Um projeto de People Analytics é sempre multidisciplinar, porque soma conhecimentos de RH, tecnologia da informação, metodologia de pesquisa e estatística. Não à toa, o profissional da área é alguém que domina esses assuntos aplicados à análise de pessoas.

Nesse sentido, se você se interessou por essa nova abordagem, é importante buscar esse conhecimento e tecnologia. O ideal é que o setor de RH trabalhe lado a lado com os especialistas externos, para que as necessidades e melhorias sejam levantadas com eficiência.

Com uma equipe qualificada e experiente, a consultoria pode indicar a estratégia mais viável e personalizada para solucionar inúmeros desafios, como turnover, insatisfação dos colaboradores, processos inadequados e conflitos internos.

Sendo assim, agora que você já sabe o que é People Analytics, é recomendável buscar esse apoio para que, com informações mais adequadas e decisões embasadas em dados, sua empresa possa melhorar o desempenho do RH.

Recrutamento e seleção

O People Analytics pode ser utilizado durante o recrutamento de novos colaboradores para garantir mais eficiência ao processo. 

Com certo nível de maturidade, a empresa já tem dados suficientes sobre si e o que busca no mercado. Dessa forma, fica mais fácil filtrar os candidatos automaticamente, a partir de suas qualificações, experiências ou perfil comportamental.

Análise de dados

A análise de dados faz parte do dia a dia de qualquer empresa que investe em People Analytics. As informações coletadas precisam ser tabuladas e classificadas de acordo com o aspecto avaliado. Também não podemos nos esquecer de considerar os objetivos durante a definição dos indicadores e a coleta dos dados.

Escolha das ferramentas

O People Analytics ganha muito com o uso da tecnologia. Nesse sentido, é importante escolher as ferramentas de análise de dados mais adequadas às suas necessidades. No mercado, já existem algumas soluções diferentes de Big Data e Business Intelligence (BI) que podem ser utilizadas para complementar sua estratégia de People Analytics.

O futuro do People Analytics

O People Analytics é uma tendência de RH que cada vez ganha mais adeptos. Conforme a tecnologia se desenvolve e torna-se mais abrangente, o uso da análise de dados se amplia. 

Passamos do nível de maturidade onde o simples acompanhamento de métricas era suficiente para uma época onde é possível criar modelos estatísticos para testar hipóteses e tomar as melhores decisões. O futuro é promissor e o People Analytics se revela cada vez mais como um caminho interessante para aproveitarmos o melhor que a tecnologia tem a oferecer.

Para tirar dúvidas e entender como funciona uma consultoria, entre em contato pelo site e fale com um consultor da Sociis RH!

Informações sobre a autora:

Bianca Andrade
Psicóloga e Co-Founder da Sociis RH

Sem Comentários

Comente

Seu e-mail não será publicado.