Enter your keyword

Feedback positivo x negativo: como ser mais assertivo

Feedback positivo x negativo: como ser mais assertivo

Feedback positivo x negativo: como ser mais assertivo

Toda gestão de recursos humanos depende da assertividade de suas ações para ter bons resultados. Nesse sentido, a comunicação precisa ser valorizada para garantir um equilíbrio entre feedback positivo x negativo na rotina de produção. Esse é o caminho para garantir que todos estão na mesma página sobre as expectativas do trabalho.

Para saber mais sobre os feedbacks e entender como eles podem ajudar na assertividade do seu RH, continue lendo a seguir.

O que são feedbacks?

O feedback é o processo no qual um indivíduo recebe um retorno sobre o seu desempenho ou qualidade de seu trabalho. O termo significa algo como retroinformação, na tradução livre. Sua origem está na área da computação, onde o termo foi originalmente aplicado para se referir a sistemas eletrônicos.

Dentro do meio corporativo, o conceito foi adotado para representar o ato de oferecer a alguém uma percepção externa sobre os resultados do seu trabalho. Na prática, isso significa dar ao profissional uma avaliação sobre o seu desempenho e a qualidade de suas entregas. 

O feedback pode e deve ser uma via de mão dupla. O trabalhador deve ter liberdade para apresentar também a sua avaliação sobre a empresa e pontuar os pontos fortes e fracos da organização.

Esse processo não pode ser encarado como um castigo ou crítica despropositada. A intenção deve ser sempre contribuir com o crescimento do indivíduo e/ou da organização. Por isso, devemos manter a cordialidade e o respeito na hora de apontar o que dá certo e o que dá errado, a partir de seu ponto de vista.

>> Leitura recomendada: [E-book] O bê-á-bá da Avaliação de Desempenho

A importância de incluir feedbacks em sua rotina

Considerado uma das principais ferramentas para medir o desempenho, o feedback tem um papel importantíssimo na rotina das empresas. Muitas vezes, buscamos entender quais são os problemas internos, comparando nossos resultados com àqueles apresentados pela concorrente. Isso é um erro que deve ser evitado.

Para visualizar a real situação, é preciso olhar para dentro da organização e compreender, com ajuda dos colaboradores, quais são os problemas que prejudicam sua qualidade. A comunicação tem um papel fundamental nesse sentido e os feedbacks são a ferramenta ideal. Eles devem estar inclusos em sua rotina de gestão, para garantir a manutenção de um histórico de resultados atualizado.

É importante ter claro de que esse não é um momento para vigiar e punir. Por isso, não existe motivo para que os trabalhadores tenham medo. Para garantir bons resultados no processo, é essencial que todos estejam confortáveis para dizer o que pensam de maneira honesta. Assim, você consegue melhorar as relações e garantir um maior controle dos resultados, a partir das percepções das equipes.

Como ser mais assertivo

Na hora de incorporar os feedbacks em sua gestão de pessoas, é importante ser estratégico para garantir assertividade no processo. Não basta sair despejando todas as frustrações da gestão no colaborador sem considerar as condições específicas de cada cargo.

Saiba mais como ser assertivo na hora de equilibrar feedback positivo x feedback negativo.

Feedback positivo

Muita gente acredita que para oferecer feedbacks positivos basta elogiar o colaborador. A verdade é que a assertividade aqui depende dos detalhes fornecidos na comunicação. Assim, não adianta dizer “você trabalhou bem” sem explicar quais aspectos do trabalho agradaram.

Para ser mais eficaz, experimente dizer coisas como “gostei da forma que você encontrou para acalmar o cliente”, por exemplo. Seja específico e lembre-se de sempre descrever o que foi feito, como foi feito e os resultados que derivaram dali.

Feedback negativo

O feedback negativo tende a ser o mais temido por gestores e, principalmente, por colaboradores. A maioria das pessoas vê esse como um momento de confronto e críticas sobre seu trabalho.

A verdade é que o feedback negativo é uma oportunidade de ouro para ambos os lados. Quem recebe a avaliação consegue se orientar melhor e entende exatamente o que não está dando certo e o porquê. Assim, fica mais fácil se organizar e corrigir seu comportamento.

Feedback construtivo

Outro ponto importante quando falamos sobre cultura de feedback é entender que todas as opiniões precisam vir no sentido de construir uma melhoria. Não queremos desalentar as pessoas e tirar sua motivação de trabalho.

O feedback construtivo é aquele que parte da empatia e do respeito fundamental no trabalho coletivo. Ele considera os acertos e erros para apresentar uma avaliação ponderada. Além de apontar o problema, com frequência sugere também um caminho para sua resolução. 

Feedback positivo x negativo: como equilibrar

Muito do medo que os profissionais nutrem sobre o momento do feedback vem de experiências ruins que marcaram. Em algumas empresas, é comum que o conceito seja utilizado para camuflar um momento de advertência, onde o trabalhador será excessivamente cobrado pelos resultados ruins.

Esse tipo de abordagem é pouco razoável pois se resume em descontar a frustração nos funcionários. Para garantir os melhores resultados em sua gestão de RH, portanto, é importante saber equilibrar os feedbacks positivos com os negativos. Entenda que ninguém faz tudo errado e sempre existem motivos para elogiar.

Nesse sentido, uma técnica bastante popular é o feedback sanduíche. Nesses casos, começamos a conversa elogiando pontos positivos da postura daquela pessoa. Em seguida, vamos apontar os pontos de atenção que precisam ser melhorados. Por último, reforçamos os pontos positivos, reconhecendo a boa intenção que existiu mesmo por trás dos resultados ruins.


06 benefícios de adotar feedback em seu RH

Quem incorpora os feedbacks em sua rotina de RH pode observar diversos benefícios em seus resultados. Além de garantir maior controle sobre o desempenho, a gestão consegue entender melhor as necessidades do time – saiba mais:

1) Mais controle dos resultados

Para tirar o máximo proveito dos feedbacks, é preciso que eles aconteçam de maneira periódica. Ao incorporar esses momentos em sua rotina de trabalho, fica mais fácil manter o controle do resultado e construir um registro histórico.

Os dados servem ao RH mas, também, ajudam e mensurar a evolução de empresa de maneira geral. As informações coletadas devem ser aplicadas no planejamento estratégico.

2) Foco na qualidade

A qualidade também pode ser influenciada positivamente pelos feedbacks obtidos. O momento ajuda a compreender o que está dando certo e o que não funciona dentro dos processos estabelecidos.

A contribuição de profissionais de diferentes níveis e áreas garante, então, maior foco na qualidade das entregas. Você investiga na fonte o que precisa ser melhorado e consegue agir de maneira mais assertiva.

3) Crescimento profissional

Para além dos resultados internos, uma rotina que contempla feedbacks dá mais espaço para que o trabalhador possa crescer profissionalmente. A partir das avaliações que ele recebe, pode se organizar para ser cada vez melhor.

Essa definitivamente é uma forma de convencer o time sobre a importância do processo. O crescimento profissional pode até não ser um objetivo dos feedbacks, mas, certamente é uma consequência fortuita.

4) Satisfação do colaborador

Conforme mencionamos, a abertura para feedbacks deve ser uma via de mão dupla. Então, ao mesmo tempo que oferece suas opiniões acerca do funcionário, o gestor também deve estar pronto para ouvir suas demandas.

Quando estabelece esse canal de comunicação, a empresa indica para o empregado que valoriza sua opinião e está disposta a se adaptar para melhorar as condições de trabalho. Sentindo-se mais valorizado, o colaborador fica mais satisfeito em seu cargo.

5) Menos turnover

Existem diversos motivos que podem levar uma empresa a ter alta rotatividade de pessoal (turnover). Mas, um que definitivamente se destaca é a falta de suporte e condições de trabalho ruins.

Esse mal certamente será remediado por uma rotina que tem feedbacks periódicos. Vamos deixar o caminho livre para que o colaborador busque resolver seus problemas antes de recorrer ao desligamento.

6) Clima organizacional

Por último, mas não menos importante, temos os ganhos com clima organizacional. No RH, esse termo é usado para se referir a qualidade geral das relações dentro do ambiente de trabalho. É preciso ter uma comunicação transparente para que os profissionais possam construir relações genuínas e agradáveis.

Mas, para alcançar um bom clima organizacional, tudo parte de uma boa comunicação. Os profissionais precisam estar livres para opinar, reclamar, pedir e sugerir mudanças sempre que quiserem. Tudo pautado pelo mais absoluto respeito, claro. Assim, você garante uma resolução de problemas mais eficiente e uma rotina de trabalho mais prolífica.


A comunicação no centro da cultura organizacional

Na gestão de RH, poucas coisas são tão importantes para a qualidade das relações quanto uma rotina de feedbacks. Esse momento garante mais transparência ao dar liberdade para que líder e liderados exponham suas demandas e dificuldades.

Mas, para ter bons resultados não basta apenas tratar esse como o momento das broncas. O equilíbrio entre feedback positivo x feedback negativo é essencial para garantir bons frutos para sua organização. Lembre-se que esse é um processo coletivo e que só ganha com engajamento genuíno de todos.

Assim, a comunicação acaba sendo o centro das atenções quando falamos em feedback. Devemos construir bons canais de diálogo e cuidar para que as relações não se desgastem por conflitos cotidianos.

Para saber mais sobre esse e outros assuntos relacionados à rotina dos recursos humanos, continue acompanhando nosso blog.

Informações sobre a autora:

Bianca Andrade
Psicóloga e Co-Founder da Sociis RH

Sem Comentários

Comente

Seu e-mail não será publicado.