Enter your keyword

Treinamentos com baixa adesão: como engajar colaboradores

Treinamentos com baixa adesão: como engajar colaboradores

Treinamentos com baixa adesão: como engajar colaboradores

Investir em educação corporativa é essencial para as empresas, porém muitos são os desafios para engajar colaboradores e fazer com que treinamentos com baixa adesão não sejam um problema dentro do negócio.

Mais do que criar rotinas e agendas de treinamentos, é essencial mostrar o seu valor e introduzir de fato a aprendizagem dentro da cultura organizacional, para que ela esteja cada vez mais presente no dia a dia dos talentos.

Como sua empresa está olhando para a educação e lidando com os treinamentos com baixa adesão dentro da estratégia? Saiba como contornar esse problema!

Treinamentos corporativos

Os treinamentos são práticas comuns em empresas e são utilizados para desenvolver habilidades dos colaboradores, sejam técnicas ou comportamentais, com o objetivo de aprimorar funções, tarefas, lideranças e quaisquer que sejam os pontos dentro da organização.

A educação corporativa funciona de diversas formas, seja presencial, de forma online ou misto e pode ser desenvolvida pela própria empresa ou contratada por especialistas.

Além de permitir o crescimento dos colaboradores, investir em educação corporativa retém e atrai talentos, demonstra como a empresa valoriza seus profissionais, possibilita inovação e faz com que o valor do negócio cresça no mercado. Além disso, ter programas de treinamento corporativo proporciona diversos benefícios, como:

  • Colaboradores mais preparados, motivados e confiantes;
  • Aumento na produtividade;
  • Diminuição de erros de trabalho;
  • Maior motivação e engajamento com as tarefas;
  • Melhoria no clima e ambiente organizacional;
  • Soluções mais criativas e equipes com melhor performance;
  • Aumento da credibilidade da empresa perante o mercado;
  • Aumento da vantagem competitiva e inovação;

Como engajar colaboradores e diminuir o problema de treinamentos com baixa adesão?

Planejar treinamentos vai muito além de criar conteúdo e disponibilizar agenda para os colaboradores. Para que a estratégia de treinamento funcione e dê os melhores resultados, é importante ter diagnósticos claros da empresa, planejar o treinamento, desenhar o conteúdo de acordo com o perfil dos colaboradores, implementar, acompanhar e mensurar.

Porém, mesmo com tantos passos e planejamentos, nem sempre os colaboradores se engajam de primeira e é comum que existam treinamentos com baixa adesão. É preciso trabalhar em cima deles e buscar novas estratégias para que eles não fiquem esquecidos, mas sim, que sejam realmente incorporados à cultura da empresa.

Pensando nisso, reunimos algumas ações importantes que farão toda a diferença para diminuir o problema dos treinamentos com baixa adesão e fazer com que a educação faça parte de sua cultura empresarial. Acompanhe!

Revise os conteúdos e entenda para quem o treinamento está sendo feito

Para que um treinamento não sofra com a baixa adesão é preciso que ele seja personalizado e pensado para os seus colaboradores. Não basta apenas copiar ou replicar o que funcionou em outras empresas ou cenários, mas sim entender conceitos e desenhar da melhor forma para seu público.

Para isso, é crucial entender seus profissionais, saber quais são suas expectativas, necessidades, desejos e problemas dentro das áreas e do negócio para que seja possível desenhar conteúdos. Assim eles serão, de fato, estruturados e direcionados com a linguagem de quem irá receber o treinamento.

Parece meio óbvio dizer, mas ter conteúdo relevante é o primeiro passo para não sofrer com treinamentos com baixa adesão e somente ao se atentar às reais necessidades dos colaboradores é que isso é feito.

Invista em design

Seja para treinamentos presenciais ou online, ter um design que converse com seus participantes é muito importante para a adesão e compreensão dos conteúdos. Pense em como os materiais serão feitos, siga a comunicação da marca, tenha atenção às cores, imagens, formas e atrativos para o colaborador.

Pode parecer simples, mas a imagem é também uma grande forma de comunicação e ter a sua direcionada e pensada para suas pessoas é crucial para que elas queiram seguir na jornada proposta.

Divulgue seu treinamento

Muitas vezes os treinamentos com baixa adesão sofrem esse problema por simplesmente os colaboradores não conhecerem sobre ele e suas possibilidades. Não basta criar um treinamento e colocar em uma plataforma, por exemplo. É preciso fazer com que as pessoas saibam de sua existência e conheçam seus benefícios e seu valor.

Portanto, divulgação é palavra de ordem quando falamos em capacitações corporativas. Mande e-mails, comunique na intranet, murais, grupos e plataformas existentes no negócio. Invista também em comunicações nas televisões do espaço físico, em cartazes dos ambientes onde existe maior fluxo de pessoas e use materiais impressos e online.

Quanto mais pessoas forem atingidas, maior o boca a boca existente no local e maiores as chances dos profissionais se interessarem e se engajarem com o conteúdo oferecido.

Invista em divulgadores internos

Mais do que divulgação por e-mail e cartazes, é importante que as pessoas divulguem os treinamentos e incentivem os colegas a participarem das ações educativas.

Para isso, pode ser interessante investir em uma espécie de projeto piloto com os divulgadores. Selecione pessoas de diferentes setores que se engajam com a cultura de aprendizagem, demonstre em primeira mão para esses conteúdos, peça feedbacks e construam juntos o treinamento.

Ao se sentirem parte do negócio e da construção da estratégia, certamente esses vão divulgar para seus colegas e, como consequência, passarão a tornar o engajamento e motivação ainda mais natural e fluído dentro do negócio.

Mais do que esses divulgadores de cada projeto, é crucial que os líderes sejam também os embaixadores do projeto de educação, afinal, esses são os grandes exemplos a serem seguidos pelos times.

É essencial que os líderes falem sobre os treinamentos, incentivem os colaboradores e repassem a necessidade e valor dos profissionais se engajarem com essas ações dentro da organização.


Tenha plataformas de aprendizagem

É preciso pensar em formas de disponibilizar a educação e treinamentos para todos os colaboradores, onde quer que eles estejam. Justamente por isso, é preciso ofertar educação à distância e o e-learning é essencial para engajar profissionais.

Essa metodologia é uma técnica de educação a distância que reforça e inclui o uso de diversos recursos audiovisuais e interativos para aprimorar a gestão do conhecimento.

E, se o ensino 100% remoto não fizer sentido em todos os seus treinamentos, o blended learning é uma outra forma importante de motivar e engajar suas pessoas.

Com o blended learning, é possível que existam encontros programados dentro do treinamento corporativo. Esses encontros podem ser para realização de dinâmicas, discussões em grupos, realização de apresentações, avaliações, entre outros.

O grande foco aqui é que exista o mínimo de interação presencial para que as trocas sejam ainda mais fomentadas entre os participantes.

Seja para e-learning ou para blended learning, para que as metodologias sejam colocadas em prática é preciso ter plataformas de aprendizagem online e investir em boas LMS, o Learning Management System é crucial.

“Plataforma LMS” se trata de um sistema de recursos que serve para auxiliar no aprendizado online. Com um LMS é possível planejar, implementar e avaliar as atividades ensinadas.

Invista em diferentes metodologias

Para fugir dos treinamentos com baixa adesão é preciso fugir também do velho modelo de sala de aula. Afinal, as pessoas não querem ficar horas sentadas ouvindo conteúdos que não enxergam valor e não sabem para que vão utilizar no futuro.

Não é possível pedir por engajamento e motivação se os conteúdos são distantes e se a forma de ensino é fria e sem graça para os alunos. Para fugir disso, invista em metodologias ativas e faça com que o colaborador esteja no centro de suas estratégias de educação.

Diversas podem ser as metodologias e ferramentas utilizadas nesse momento.  Algumas delas são

Gamificação

A gamificação é a utilização de jogos e elementos lúdicos e recreativos para aprimorar o aprendizado e aproximar teoria e prática. Com o poder da gamificação é possível propor desafios, competições, rankings, pontuações, trilhas e diversos elementos que motivam individualmente e em grupos.

As pessoas cada vez mais estão inseridas no mundo dos jogos, mesmo que sejam simples e em celulares, e utilizam esse momento como uma diversão. Sendo assim, colocá-los como forma de aprendizagem faz também muito sentido e criam altos níveis de engajamento e resultados.

Mobile Learning

O celular está cada vez mais presente na vida dos colaboradores e ele é quase como a “extensão do braço” das pessoas. Pensando nesse elemento tecnológico é preciso criar recursos e estratégias para que o aprendizado passe também por essa ferramenta e o mobile learning é a tendência da vez.

Não basta criar apenas conteúdos que sirvam para computador. É essencial refletir que seu colaborador pode acessar em diversos momentos e locais e, por isso, é preciso que os conteúdos e estratégias sejam amigáveis para esse meio.

Microlearning

Assim como o celular, a falta de tempo e sentimento de urgência é crescente nas pessoas. Por isso, o microlearning é também uma tendência para treinamento corporativo.

Essa estrutura é uma forma de atualizar colaboradores e, até mesmo, servir como uma espécie de alicerce para as atividades do cotidiano. Essa forma de ensino se dá através de conteúdos de curta duração, como “pílulas do conhecimento”.

Realidade Virtual

A realidade virtual é uma das tendências que cada vez mais é olhada para educação corporativa e com essa tecnologia é possível simular diversas situações e levar o colaborador ainda mais para dentro de seu ensino.

Sistemas como esse fomentam engajamento e motivação, além de serem cruciais para a fusão de teorias e práticas no empreendimento.

Tenha recompensas

As pessoas são movidas por conquistas e recompensas. Oferecer essas possibilidades faz com que os colaboradores se engajem e façam com que os treinamentos com baixa adesão tenham público.

Como já falamos no tópico de gamificação, dar premiações, ter rankings e pontuações estimula a competição saudável e faz com que todos tenham vontade de participar para aprender e, claro, para ganhar.

É interessante estipular também metas de aprendizagem e premiações, além de recompensas para os mais engajados dentro da cultura de educação. Dessa forma, os colaboradores passam a olhar ainda mais para os treinamentos e deixam de ver apenas como uma obrigação da empresa.

Investir em ações e estratégias para aumentar a adesão nos treinamentos faz toda a diferença para os resultados da educação corporativa dentro de um ambiente.

Conhecer os colaboradores e suas expectativas, desenhar conteúdos, divulgar ações, olhar para seus embaixadores internos e ter metodologias são alguns dos passos importantes que devem ser olhados pelo seu negócio, a fim de diminuir os problemas de treinamentos com baixa adesão.

Como estão as estratégias de educação corporativa em seu negócio? O quanto os treinamentos com baixa adesão interferem em sua organização? Aproveite que agora sabe mais sobre ações de como engajar suas pessoas e conheça mais sobre metodologias ativas e como elas podem ser importantes em seu cenário!

Conteúdo produzido por Engage

Sem Comentários

Comente

Seu e-mail não será publicado.