Enter your keyword

Habilidades que um líder deve ter para uma gestão de pessoas eficaz

Habilidades que um líder deve ter para uma gestão de pessoas eficaz

Habilidades que um líder deve ter para uma gestão de pessoas eficaz

A gestão de pessoas é a chave para criar um bom ambiente de trabalho, confortável e produtivo. Neste artigo vamos explicar as habilidades que um líder deve ter para gerir pessoas com sucesso.

As empresas que investem tempo e energia na gestão eficaz de pessoas, constroem um local de trabalho que ajuda os colaboradores a crescerem e se tornarem melhores profissionais.

Saber como gerir pessoas pode contribuir para que os líderes gastem menos tempo preenchendo relatórios e mais tempo garantindo que as tarefas sejam concluídas, a equipe esteja alinhada e a empresa crescendo de maneira saudável.

Para isso, analisamos as principais habilidades que o líder precisa para incorporar um sistema de gestão de pessoas de sucesso em sua empresa. Confira!

Quais habilidades o líder deve ter para uma gestão de pessoas eficaz?

1- Saber se comunicar

A comunicação é uma parte importante da vida profissional, mas torna-se ainda mais importante quanto mais alto se sobe no nível corporativo. Um líder precisa ser capaz de se comunicar com sua equipe em vários níveis.

Como os líderes realizam reuniões regularmente com toda a equipe, ou partes dela, eles precisam ser capazes de criar uma agenda de reuniões ágil, para que todos estejam na mesma página sem que haja ruídos de comunicação, todas as reuniões tenham um propósito e, claro, tenha tempo para as demais tarefas.

Ser líder também significa comunicar-se com os superiores, independentemente se os resultados da estratégia forem positivos ou negativos.

Ele está na linha da frente se as coisas derem errado, então precisa ser capaz de assumir a responsabilidade, fazer o que deve ser feito, sem jogar a culpa na sua equipe.

Comunicar as necessidades da alta gerência para sua equipe, e vice-versa, está no centro da gestão de pessoas. É uma habilidade que pode ser aprimorada com o tempo, mas deve ser uma prioridade para quem ocupa cargo de liderança.

2 – Incentivar o feedback

A comunicação não é uma via de sentido único — os líderes precisam ser capazes de inspirar confiança em suas equipes para compartilhar seus pensamentos e preocupações.

O feedback é necessário para que uma empresa cresça e que um ambiente de trabalho seja funcional e confortável.

Existem ferramentas criativas de feedback que as equipes podem usar para se comunicar e dar dicas umas às outras, e devem ser usadas por todos os setores dentro das empresas.

O feedback construtivo torna todos melhores — compartilhar opiniões pode impulsionar a capacidade da equipe, motivá-los a trabalhar em conjunto e, até mesmo, ajudar que todos se tornem mais conscientes de suas ações e o que pode ser feito para prevenir possíveis erros ou obstáculos.

Crie um ambiente colaborativo e rico em feedback para tornar o local de trabalho um espaço de crescimento e desenvolvimento.

3 – Ouvir os colaboradores

Incentivar feedback, como vimos, é muito importante, mas os colaboradores devem ser ouvidos. A gestão de pessoas tem a ver com colaboração e isso não acontecerá se as pessoas não ouvirem umas às outras.

Talvez a equipe se sinta desmotivada, ou não tenha certeza sobre seu papel na empresa. Um líder precisa estar aberto para ouvir esse feedback e agir, trazendo possíveis respostas.

Imprescindível é ouvir o que a equipe diz e fornecer soluções (mesmo que não seja imediatamente).

A comunicação deve ser realizada de forma ativa e constante com os membros da equipe.


4 – Ser organizado

Um líder precisa ser organizado para garantir que os departamentos pelos quais é responsável funcionem bem ao longo de todo o ano.

Não é possível “ficar de olho” em tudo, pedir atualizações regulares, seja por meio do chat ou mesmo e-mail, é de extrema importância. O trabalho remoto não precisa se tornar um obstáculo, as reuniões e conversas devem continuar sendo realizadas com todos do time.

5 – Resolver conflitos

Esta é provavelmente uma das partes mais difíceis da gestão de pessoas. Os locais de trabalho são espaços movimentados e podem ser bastante tensos — como resultado, os conflitos tendem a surgir.

Na maioria das vezes, estes desentendimentos passam rapidamente — dois colegas não concordam sobre algo, mas um deles, eventualmente, encontra uma solução, resolvendo o problema entre eles.

Mas o conflito, muitas vezes, pode ter consequências sérias — se um colaborador se torna agressivo, perigoso ou mesmo preconceituoso, é necessária uma intervenção da liderança. Deve-se mediar a situação entre as partes para chegar a uma solução. Se isso não for possível, torna-se necessário envolver o setor de RH para lidar com o assunto.

6 – Ser flexível

A flexibilidade se tornou extremamente importante, principalmente com o trabalho home-office se tornando cada vez mais frequente.

As pessoas têm graus de produtividade diferentes, e ter uma vida fora do trabalho, que seja equilibrada, impacta muito no desempenho profissional. Oferecer essa liberdade aos colaboradores pode ser algo muito valioso para a cultura da empresa.

Outro fator que deve ser levado em consideração é que dificilmente existe apenas uma maneira de completar uma tarefa. Os líderes precisam estar abertos a novas ideias e, inclusive, incentivar a criatividade no ambiente de trabalho.

A gestão eficaz de pessoas garantirá que todos se sintam confortáveis e respeitados como pessoas e profissionais.

7 – Ter empatia

Os líderes precisam ter empatia, para criar um ambiente de confiança para sua equipe. Se um colaborador tiver um familiar doente, por exemplo, ele deve ter licença ou flexibilidade para mudar seus horários.

Se alguém precisar trabalhar em casa para sua saúde mental, a liderança precisa entender o momento do colaborador e não hesitar em aceitar seu pedido.

A empatia, por ajudar as pessoas a se conectarem, deve ser um requisito obrigatório da gestão de pessoas estratégica.

8 – Manter a equipe motivada

Os líderes precisam ser capazes de motivar suas equipes, para dar o melhor de si, mas também para expandir seus próprios limites.

As tarefas diárias desenvolvem-se por si próprias, mas a maneira de fazer um negócio crescer é incentivando as equipes a fazerem mais e a experimentarem novos desafios.

Um bom líder é capaz de motivar sua equipe para que sua entrega seja acima da média.

9 – Conhecer pontos fortes e fracos

Um bom líder também precisa saber conhecer a si mesmo, saber quais são as habilidades que precisa dominar e quais ainda precisam ser desenvolvidas.

Para ajudar nesse processo de autoconhecimento, pode-se criar uma análise swot pessoal, para que fique mais fácil avaliar os pontos fortes e fracos. Esse formato vai realçar:

  • Forças – competências, talentos e habilidades;
  • Oportunidades – possibilidades de mudança e crescimento;
  • Fraquezas – pontos de melhoria;
  • Ameaças – tudo aquilo que pode se tornar um obstáculo para o seu objetivo.

As iniciais dos quatro pontos acima formam o acrônimo FOFA. Além do termo SWOT, você também pode encontrar análises com o nome de FOFA.

Para ficar mais fácil, a dica é utilizar um modelo personalizável para registrar os resultados dessa autoanálise.

Um bom gestor deve incentivar todos da equipe a criarem a sua própria análise SWOT e trabalharem cada ponto, para o máximo desenvolvimento das suas capacidades.

Essa atividade vai ajudar a criar uma relação mais próxima com a equipe, proporcionar uma melhora do modelo de gestão, uma vez que o líder saberá como melhor dividir as tarefas e gerir cada colaborador, de acordo com suas habilidades e competências

Conclusão

A gestão de pessoas é a melhor forma de manter as equipes unidas e de ter um bom ambiente de trabalho, seja ele presencial ou remoto. Um líder que se preocupa em ser um bom gestor, já deu o primeiro passo para uma gestão eficaz.

É importante conhecer todos da equipe, de forma individual, além de se auto conhecer. Só assim, é possível que todos cresçam juntos e trabalhem em harmonia.

Ter reuniões com a equipe não deve ser vista como perda de tempo. O trabalho home-office não deve dificultar a comunicação. Deve-se continuar acompanhando o desenvolvimento dos liderados, estando sempre disponível para conversa, aberto a ouvir e oferecer feedbacks constantes.

Conteúdo produzido por Venngage

Sem Comentários

Comente

Seu e-mail não será publicado.