Enter your keyword

Fracasso: precisamos falar sobre isso

Fracasso: precisamos falar sobre isso

Fracasso: precisamos falar sobre isso

Certa vez, o editor da Kansas City Newspaper demitiu um funcionário por sua falta de criatividade.

Essa é a história real que faz parte da biografia profissional do produtor norte-americano conhecido como Walt Disney. Passados alguns anos, sua persistência o conduziu para o auge do sucesso profissional que podemos acompanhar pelas animações de cinema e parques temáticos.

Poucas pessoas enxergam os fracassos que precedem o êxito dos grandes cases de sucesso. A vida que levamos colabora para potencializar nossa frustração diante dos acontecimentos que dão errado, ou que, simplesmente, não desenrolam da maneira como idealizamos.

As redes sociais têm grande influência nesse comportamento. Nela, as pessoas, enquanto usuários, exibem seus melhores sorrisos, pelos melhores ângulos, com as melhores roupas, nos melhores passeios. Esse hábito leva à falsa impressão de qualquer pessoa do Instagram é mais bem sucedida do que você.

A resiliência é uma palavra que está em alta, inclusive nas redes sociais, por mais irônico que isso possa parecer. Seu significado está associado à habilidade de recuperação do indivíduo em situações de crise e a superação das adversidades.

Ser resiliente é importante em situações de fracasso profissional. Como popularmente dizem, enquanto alguns choram, outros vendem lenço. Todos nós estamos sujeitos ao fracasso. O que difere os fracassados dos vencedores é justamente a capacidade de identificar seus erros e aprender com eles.

Enquanto muitos ficam estagnados, remoendo os erros do passado, sem perspectiva de futuro, outros resolvem evoluir com a lição do que não deu certo e buscar novas ações para atingir o progresso almejado.

Atitudes que podem levar ao fracasso

Por outro lado, precisamos levar em consideração que algumas atitudes acabam aguçando nossas chances de fracassar. Às vezes elas são fáceis de modificar na nossa rotina; às vezes, não.

Por exemplo: você pode e deve ser confiante. Mas a arrogância é bem diferente da autoconfiança. Independente da grandeza do seu cargo, você sempre deve estar aberto a aprender com a vivência dos outros colaboradores. Todo mundo tem um pouco a ensinar, podemos aprender com as lições dos erros alheios, sem precisar necessariamente experimentá-los.

Ser competitivo é uma característica muito bem vista no mundo corporativo, desde que não ultrapasse os limites da ética e respeito mútuo. Caso contrário, pode ser destrutiva e contribuir para o fracasso profissional. Esteja disposto a dividir seus conhecimentos com quem ainda é inexperiente e lembre-se de que, para chegar onde está, você certamente contou com a ajuda e paciência de outras pessoas.

A habilidade de saber trabalhar em equipe é uma consequência do emprego de atitudes positivas na rotina profissional. Pessoas bem relacionadas possuem redes de contatos que podem lhe auxiliar dentro e fora do ambiente de trabalho. Além disso, a interação com outros profissionais permite conhecer pontos de vista diferentes e beneficia a resolução de problemas de forma criativa.


Dicas para “sobreviver” ao fracasso

Fracassar não é o fim do mundo. Cada tentativa é uma nova chance para que você se aperfeiçoe e seja melhor no que faz.

Com isso em mente, saiba identificar quando é melhor não insistir no erro. Persistir é diferente de repetir ações que não deram certo. Insistir em algo que deu errado tem poucas chances de êxito.

Saiba rever a estratégia para identificar o que pode ser modificado e, assim, colher melhores resultados. Para isso, escute o conselho dos integrantes da sua equipe e não subestime a visão dos colaboradores.

Também é muito importante se reinventar na busca pelo sucesso. O que deu certo ontem talvez não seja o suficiente para solucionar outro problema futuramente. Vivemos em um mundo de evolução constante e saber acompanhá-las é fundamental.

É disso que fala a transformação digital: quem não se adapta corre o risco de perder para a concorrência. A inovação possibilita melhorar o desempenho da empresa em vários sentidos, inclusive internamente, nos próprios processos administrativos e rotineiros.

Um exemplo de que olhar para as coisas com um olhar novo rende possibilidades interessantes no âmbito empresarial é a solução que uma empresa de tecnologia encontrou para o bom e velho registro de ponto. A QRPOINT desenvolveu um software de controle de ponto inovador para otimizar as tarefas em gestão de RH.

O sistema emite o espelho de ponto automaticamente e em tempo real. Além disso, é programável para considerar o cálculo de horas extras, adicional noturno, resumo da jornada de trabalho e saldo do banco de horas. Caso a empresa tenha funcionários que exerçam atividades externas, ou seja, fora da sede local, é possível utilizar o aplicativo da QRPOINT para que a jornada de trabalho seja contabilizada através do recurso de geolocalização.

O que a QRPOINT fez foi renovar algo que já existia, mostrando que, muitas vezes, fracassamos porque queremos ser o algo novo, enquanto há muitas coisas que já foram feitas e ditas que merecem uma atenção especial.

Finalizamos essa reflexão sobre o fracasso com uma frase atribuída ao ex-primeiro ministro do Reino Unido, Winston Churchill: “O sucesso é ir de fracasso em fracasso sem perder o entusiasmo”.

E você, já fracassou hoje?

Conteúdo produzido por QRPoint

Sem Comentários

Comente

Seu e-mail não será publicado.