Enter your keyword

Metodologias Ágeis no RH: as principais e como aplicar

Metodologias Ágeis no RH: as principais e como aplicar

Metodologias Ágeis no RH: as principais e como aplicar

O conceito de metodologia ágil nasceu fortemente alinhada à criação e desenvolvimentos de softwares. Assim, essas metodologias são resultado do manifesto ágil que aconteceu em 2001, o qual trouxe consigo uma série de especificações que orientavam o desenvolvimento desses programas. 

Com o passar dos anos, as metodologias ágeis mostraram seu sucesso e evoluíram consideravelmente. Assim, acabaram por ganhar os olhos de outras áreas, que pegaram a ideia e a adaptaram para que ela pudesse ser aplicada a outras áreas que não o desenvolvimento de softwares. 

Se adaptar à transformação digital não é fácil, ela impõe novas maneiras de se portar, com mais agilidade e foco no cliente e, não por acaso, o consumidor está cada vez mais exigente.

Diante dessa nova lógica de mercado, o RH precisa se alinhar às tendências tecnológicas, para que assim consiga assumir seu papel de grande influência dentro das empresas. 

Exemplo de aplicação: recrutamento e seleção 

A área de recrutamento e seleção vem buscando se aprimorar cada vez mais. Afinal, o capital intelectual de um negócio é, muito provavelmente, o bem mais valioso de uma empresa. Com isso, muitas empresas vêm aplicando metodologias ágeis nesse processo.

Aqui, o primeiro passo é se posicionar como uma marca empregadora para, assim, manter um relacionamento com possíveis futuros colaboradores por meio de redes sociais. Com isso, é possível criar um efetivo banco de talentos. 

Assim, quando uma vaga surge, é só consultar o banco. Com isso, os profissionais também estarão muito mais aptos a participarem do processo seletivo, uma vez que uma relação já foi estabelecida via redes sociais, criando um sentimento maior de proximidade. 

Conheça as melhores metodologias ágeis para a área de RH

Para se aproveitar de todas essas vantagens, conheça as principais metodologias ágeis aplicadas ao RH e escolha a que melhor se adapta a sua realidade!

SCRUM 

O Scrum é uma das metodologias para aumento de produtividade mais usadas dentro das empresas. Ele preza pela otimização de gestão de projetos.

Assim, a principal ideia do Scrum é dividir um grande projeto em muitas pequenas partes, que são distribuídas pela equipe, estipulando um prazo para a conclusão. 

O Scrum também preza pelo bom acompanhamento do andamento do projeto. Assim, é necessário fazer reuniões para acompanhar esse processo e, caso necessário, mudar a estratégia. Afinal, nem sempre os colaboradores vão conseguir entregar as tarefas nos prazos estipulados e isso pode gerar problemas. 

O Scrum é muito indicado pois fortalece o trabalho em equipe, uma vez que cada colaborador sabe como seu trabalho influencia na situação geral das metas da empresa e otimiza processos, uma vez que o andamento fica ágil e menos moroso com as tarefas pequenas.

Para que o Scrum seja aplicado com todo seu potencial de melhora, é necessário seguir e respeitar os 3 pilares dessa metodologia, os quais citaremos agora: 

  • Transparência: os colaboradores devem estar cientes do andamento da estratégia a todo momento, bem como ter livre acesso aos processos e documentos que sejam importantes para o andamento do projeto. 
  • Inspeção: a inspeção é a parte de acompanhamento que citamos acima. Normalmente, a inspeção do Scrum acontece em reuniões diárias chamadas de Daily Scrum, para verificar se os processos estão sendo feitos corretamente e seguindo os padrões de qualidade. 
  • Adaptação: a adaptação vem ou não de acordo com a etapa de inspeção. Caso sejam encontrados erros ou dificuldades na Daily Scrum, é necessário readaptar os processos e traçar novos caminhos. 

KANBAN 

O Kanban é uma metodologia que ajuda na organização de tarefas e na melhor visualização do andamento de projetos. Assim, a ideia é usar etiquetas ou post-its, sinalizando o que já foi feito, o que está em andamento e o que ainda precisa ser feito, além de quem é o responsável por cada tarefa. Com isso, forma-se um quadro, que proporciona uma visão extremamente dinâmica para a gestão de projetos. 

Aqui, é importante dizer que o Kanban não necessariamente trabalha sozinho. Assim, ele pode ser utilizado em conjunto com diversas outras metodologias, como o Scrum, por exemplo, fornecendo mais facilidade para o acompanhamento que o Scrum exige. 

Quer saber como colocar o Kanban em prática? Trouxemos aqui algumas dicas para que você possa adotar essa metodologia com todo o potencial de otimização que ela carrega. Confira:

  • Utilize a base que você já tem: como você pode perceber pela explicação do Kanban, ele não carrega procedimentos próprios. Por isso, é possível começar com o workflow que você já tem e aplicar o Kanban em cima disso. 
  • Busque incrementar e evoluir: é importante que você busque aprimorar os processos do seu workflow, seguindo a lógica do Kanban. Perceba que isso não significa mudar nada radicalmente, uma vez que pode haver resistência. 
  • Respeito ao que já existe: esse tópico é para reforçar o fato de prezar por não fazer grandes mudanças no workflow, isso porque a resistência da equipe pode prejudicar bastante o andamento da estratégia. Então, respeite os processos, papéis, responsabilidades e títulos que já existem. 
  • Incentive a liderança: é muito importante incentivar a liderança dentro das equipes. Afinal, você não precisa ser gerente ou diretor para exercer liderança dentro de uma empresa. Com isso, as equipes se organizam muito melhor, fazendo com que as tarefas sejam cumpridas com qualidade e no prazo estipulado. 

A3 

A metodologia A3 é extremamente utilizada para resolver problemas imprevistos dentro das empresas. Afinal, em muito momentos nos quais não se estavam esperando o problema, é necessário ser criativo para resolver a questão com agilidade e eficácia.

Assim, essa metodologia usa uma folha A3 dividida em duas partes. De um lado, temos a análise da situação com os fatos e problemas a serem resolvidos, e do outro, colocamos as perspectivas futuras do melhor cenário possível, a partir daquele problema. Com isso, também é necessário apresentar possíveis soluções para as questões apresentadas. 

Essa metodologia é extremamente utilizada pois, além de estimular o trabalho em equipe, ela proporciona uma visão mais dinâmica da situação, impulsionando o pensamento de soluções criativas. 

Quer saber como colocar a A3 em prática? Fizemos um passo a passo para que você possa construir seu próprio relatório e otimizar a solução de problemas dentro da sua empresa. Confira: 

  • Título: o relatório A3 em questão é referente a qual problema? Qual questão está sendo tratada? Deixe isso claro para identificações e análises futuras. 
  • Definição do problema: desenvolva o problema em questão, defina porque é um problema, como e quando ele acontece e quais são os afetados por ele. 
  • Condição atual: o problema se encontra sob contenção? ele está saindo do controle e afetando outros setores da empresa? Especifique todas essas questões para que seja possível definir o nível de prioridade da resolução. 
  • Objetivo: defina qual é o seu objetivo com esse relatório, o que você deseja atingir? Assim, é altamente recomendado que você defina esse objetivo por meio de Metas Smart.
  • Análise da causa raiz: para começar a solucionar um problema, você precisar saber exatamente o que o está causando. Por isso, se baseando nas informações coletadas acima, tente definir o mais especificamente possível qual a causa raiz do problema em questão. Para isso, é possível utilizar ferramentas como o Diagrama de Ishikawa e a técnica dos 5 porquês.
  • Plano de Ação: agora é o momento de atacar as causas pontuadas no passo anterior. Aqui, é hora de arquitetar ações e definir os recursos que serão necessários para resolver o problema. Assim, divida o projeto em tarefas e as distribua pela equipe, estipulando prazos de conclusão. 
  • Acompanhamento: para que a estratégia seja efetiva, é necessário acompanhar se as metas estão ou não sendo alcançadas. Para isso, é necessário fazer um acompanhamento constante, preferencialmente por meio de indicadores de desempenho, para que a análise seja a mais próxima da realidade possível. 

Esperamos que essas dicas te ajudem a otimizar os processos do RH da sua empresa e levar os melhores resultados para os seus colaboradores! 

Conteúdo produzido por Siteware

Sem Comentários

Comente

Seu e-mail não será publicado.