Enter your keyword

Fique por dentro do impacto do eSocial nos planos de cargos e salários!

Fique por dentro do impacto do eSocial nos planos de cargos e salários!

Fique por dentro do impacto do eSocial nos planos de cargos e salários!

O eSocial é um módulo criado pelo Governo Federal para centralizar as informações trabalhistas e fiscais dos empregadores. Parte integrante do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), começou a ser implantado no início de 2018. Para as empresas, é importante conhecer o impacto do eSocial nos planos de cargos e salários.

Como é necessário planejar as funções e as remunerações, compreender o que muda ajuda a se manter dentro da lei. Ao final, a implantação do novo módulo se torna menos complexa.

A seguir, conheça o impacto do eSocial nos planos de cargos e salários.

Quais são as mudanças e impactos com a nova implantação?

O uso de eSocial busca facilitar a reunião e a análise de informações. Como resultado, há algumas modificações no cadastro dos funcionários, o que impacta o plano de cargos e salários diretamente.

Para entender melhor, veja quais são as principais transformações e como elas influenciarão o cotidiano empresarial.

Inclusão de mais informações sobre o trabalhador

Agora, o empregador tem que incluir um volume maior de dados na sua base. Já não basta apenas indicar o salário e as informações de identificação. É preciso, também, pontuar a remuneração específica da posição ocupada.

Sem esses dados, a admissão talvez não seja autorizada. Além disso, a falta dessas informações gera problemas com a declaração e pode até levar ao pagamento de multas, por exemplo.

Uso da Classificação Brasileira de Ocupações

Criada em 1977 e atualizada em 2002, a Classificação Brasileira de Ocupações serve para padronizar os nomes das funções nos diversos empreendimentos. Cada opção é acompanhada por uma sequência de seis dígitos, o que favorece a consistência de dados. No entanto, a CBO não era utilizada por todos os negócios. Com a chegada do eSocial, será preciso apresentar a classificação adequada.

Isso servirá, principalmente, para fazer o cruzamento de informações entre posições e remunerações. Também é um jeito de comparar valores entre segmentos ou empresas e de melhorar a fiscalização.

Como se adaptar às modificações geradas?

Para absorver o impacto do eSocial nos planos de cargos e salários as empresas devem começar a se preparar o quanto antes. Há uma progressão na implementação do sistema, então é essencial já estar preparado para quando a mudança acontecer. Nessa tarefa, alguns passos são fundamentais. Veja quais são eles, a seguir.

Mapeie os cargos do negócio

Tudo deve começar com uma visão clara das condições sobre as posições ocupadas no empreendimento. O mapeamento tem que compreender todos os setores, cargos, níveis hierárquicos, steps e remunerações.

Essa etapa serve para identificar cargos semelhantes ou iguais com salários distintos, por exemplo. Também é importante para entender como ocorre a dinâmica de progressão e promoção (horizontal e vertical) e qual é o caminho que cada colaborador pode traçar.

Readeque as condições

Feita a análise profunda sobre os cenários e cargos, é o momento de ajustar as condições oferecidas. Os salários de cargos semelhantes, por exemplo, devem ser apresentados de forma igual. Do contrário, será necessário mudar a nomeação dada a cada um — desde que não ocorra o desvio de função.

Caso a escolha seja por realizar a equiparação, todos deverão receber o mesmo valor, independentemente de condições como idade, gênero ou nacionalidade.

Elabore um planejamento robusto

Depois de revisar — ou implementar — a estrutura de cargos e salários com a descrição específica de cargos ou funções e analisar as complexidades da política e dos procedimentos de remuneração, é necessário resolver os problemas existentes dentro da organização. Essa é uma etapa muito importante, visto que para dar conta do impacto do eSocial no plano de cargos e salários, também é preciso pensar no futuro. Assim, o planejamento de funções deve ser bastante completo e funcional.

Estabelecer um organograma com hierarquias, remunerações e planos de carreira é algo bem-vindo. Dependendo das necessidades, pode ser o caso de fazer uma subdivisão em relação aos setores, pois isso ampliará a visibilidade. A ajuda de uma equipe especializada de RH faz toda a diferença para obter efeitos otimizados.

Com o eSocial, pretende-se que todas as informações e obrigações estejam agrupadas em um único banco de dados. Portanto, é imperativo conservar uma organização criteriosa, sobretudo no que se refere às informações que serão passadas no sistema, a fim de que não haja inconsistências.

Essas iniciativas certamente vão diminuir as grandes diferenças salariais para uma mesma função e tornar as remunerações mais justas para os colaboradores.


Há problemas previstos com a fiscalização?

Apesar de o eSocial ser uma grande mudança, ele não transformou a legislação. Ou seja, não existe nenhuma orientação nova sobre os aspectos trabalhistas. Então, os negócios que já têm um bom plano de cargos e salários não precisam se preocupar tanto.

Contudo, os empreendimentos que notarem uma grande disparidade salarial em funções iguais têm que ficar atentos. Nesse caso, as declarações não serão aceitas e o envio não será concluído. Então, a empresa estará em débito com o pagamento dos encargos e terá que arcar com as consequências.

Para completar, o próprio Ministério do Trabalho pode autuar as empresas. O ideal, portanto, é fazer tudo certo já no começo para evitar problemas no futuro.

Como se adaptar melhor às mudanças?

Dependendo do tamanho do empreendimento ou da complexidade de atuação, o impacto do eSocial nos planos de cargos e salários pode trazer grandes exigências. Para facilitar e ganhar eficiência, o melhor é contratar uma equipe focada, especificamente, na adequação das condições.

Com um fornecedor de RH capacitado para a função, será mais fácil estruturar um planejamento. A contratação deve servir para várias etapas, como a elaboração do plano ou o treinamento dos colaboradores responsáveis pelo RH.

Ter esse apoio é um jeito eficiente de tirar as principais dúvidas e garantir que tudo esteja alinhado. Ao final, o envio pelo novo módulo não se tornará um problema e o negócio poderá atuar normalmente.

O impacto do eSocial nos planos de cargos e salários exigirá uma abordagem mais estruturada. Com a atuação correta, é possível preencher a declaração do jeito certo e se livrar de problemas com a fiscalização.

Para sempre ficar por dentro das novidades, acompanhe nossos perfis no LinkedIn, Facebook e Instagram.

Informações sobre a autora:

Bianca Andrade
Psicóloga e Diretora de Recursos Humanos da Sociis RH

Sem Comentários

Comente

Seu e-mail não será publicado.